Cinema: Christopher Nolan e o Cavaleiro das Trevas

Ou se morre como herói, ou vive-se o bastante para se tornar o vilão.


Apesar de ouvir algumas criticas negativas sobre a trilogia de Batman dirigida por Christopher Nolan, eu acho que a obra é digna de elogios (principalmente após os dois filmes de Joel Schumacher). Christopher Nolan fez algo inédito: mostrou de forma longa e coerente a construção e a desconstrução de um herói. Seu modo de explorar o Homem-Morcego nos faz compreender o real significado da “identidade secreta”.

Um ser humano, como você e eu


O filme é um drama adulto, suas cenas são bem elaboradas e densas. Apesar da forma excêntrica ou caricata o filme não deixa de ser realista.

A trilogia começa com Batman Begins, que mostra o assassinato dos pais de Bruce Wayne, a viagem em busca de meios para combater a injustiça, o retorno a Gotham City e a idealização de seu ¹alter-ego. Neste filme Batman se torna um herói público e Bruce ganha controle da sua companhia, Gordon antes Sargento assume o posto de Tenente. O filme termina quando Jame Gordon mostra a Batman o Bat-Sinal e menciona um novo criminoso, que deixa na cena do crime uma cartas coringa do baralho. Batman promete investigar, e desaparece na noite.

A noite é mais sombria um pouco antes do amanhecer 


The Dark Knight é o ápice da trilogia de Nolan, foi com este filme comecei meu caso de amor com o Homem-Morcego. Com um bom roteiro e grandes atuações, esse filme se tornou um dos melhores filmes de Super-Heróis na minha opinião. (em breve farei uma lista com os meus filmes favoritos de Super-Heróis)

Em The Dark Knight vemos o inteligente, sarcástico, louco e assustador Coringa roubar a cena, interpretado por Heath Ledger este é um dos poucos casos onde o vilão chama mais atenção que o herói. Foi com esse filme que comecei dar preferência a filmes legendados, pois percebi que a edição de som nacional não se compara a edição original.

Intrigante, perturbador e excelente, The Dark Knight não é um filme cheio de ação, há trechos do filme que lembram seu antecessor, mas o foco da trama é suspense.

Um mal necessário


Eu tinha rejeição a esse filme, mas Nolan conseguiu encerrar a trilogia de forma grandiosa. Algumas coisas no filme chegam a ser chatas, o excesso de explicações do vilão Bane torna o filme enjoativo, deixando falha em seus planos para que o herói aprisionado consiga fugir e deter o mesmo.

Bane é um vilão forte, frio, extremamente inteligente e maléfico Seu objetivo fica mais claros com o desenrolar da trama.

Devo confessar que fiquei com medo das minhas palavras, acho que fui limitado para expressar minha opinião sobre a conclusão da trilogia de Nolan, pois ainda estou refutando a mesma

2 comentários:

  1. Porra Arthur, eu chego aqui pra ver quem é esse cara q me manda ficar mais atenta ao andar na rua sem nem saber quem eu sou e dou de cara com um artigo sobre uma trilogia mega incrível que eu adorei ver! uhauhauhauha

    Vou acompanhar o blog também. Adorei o nome! E olha só, somos jornalistas! uhauhauha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe, he! A trilogia merece respeito Rakky (:

      Excluir